Pular para o conteúdo principal

Novo Estudo Mostra Possível Ameaça de Uma Mini Era do Gelo


O suposto "consenso" sobre o aquecimento global causado pelo homem está enfrentando uma inconveniente contestação após a publicação de novos dados de temperatura, que mostram que o planeta não se aqueceu nos últimos 15 anos.

Os números sugerem que poderíamos estar até caminhando para uma mini era do gelo, que iria até mesmo rivalizar a queda de temperatura que durou 70 anos e que permitiu que feiras fossem realizadas nas águas congeladas do rio Tâmisa no século 17.

Com base em leituras de mais de 30.000 estações de medição, os dados foram divulgados sem muito alarde em janeiro de 2012 pelo Met Office e pela Unidade de Pesquisa Climática da Universidade de East Anglia (esta última peça central do escândalo Climategate). O estudo confirma que a tendência de aumento das temperaturas mundiais acabou em 1997.



A pintura de Abraham Hondius, de 1684, retrata uma das muitas feiras no Rio Tâmisa congelado durante a mini era do gelo.

Enquanto isso, renomados cientistas climáticos disseram no começo do ano ao jornal The Mail on Sunday que, depois de emitir níveis anormalmente elevados de energia ao longo do século 20, o sol está agora caminhando para um "grande mínimo" de emissão de energia, podendo causar verões frios, invernos rigorosos e um encurtamento das estação disponíveis para cultivo de alimentos. A atividade solar passa por ciclos de 11 anos, com elevado número de manchas solares observados em seu pico.

Estamos agora no que deveria ser o pico do que os cientistas chamam de "Ciclo 24" - motivo pelo qual a tempestade solar no início deste ano resultou em avistamentos da aurora boreal mais ao sul do que o habitual. Mas a quantidade de de manchas solares é menor do que  metade das observadas durante os picos dos ciclos do século 20.

A análise feita por especialistas da NASA e da Universidade de Arizona, derivada de medições de campo magnético a 120 mil milhas abaixo da superfície do sol, sugere que o ciclo 25, cujo pico deve acontecer em 2022, será ainda mais fraco.

De acordo com um estudo divulgado na semana passada pelo Met Office, há uma chance de 92% que tanto o Ciclo 25 como os que acontecetão nas décadas seguintes serão tão fracos quanto ou mais fraco do que o "mínimo de Dalton", que ocorreu entre 1790 e 1830 . Neste período,cujo nome foi em homenagem ao meteorologista John Dalton,  as temperaturas médias em partes da Europa caíram 2ºC.

No entanto, também é possível que a nova queda de energia solar possa ser tão profunda quanto o "mínimo de Maunder" (em homenagem ao astrônomo Edward Maunder), que aconteceu entre 1645 e 1715 na parte mais fria da "Pequena Idade do Gelo", quando houve o congelamento tanto do rio Tâmisa como também dos canais da Holanda.



Temperatura Média Global entre 1997-2012

No entanto, em seu estudo, o Met Office (conhecido alardeador do Aquecimento Global Antropogênico) afirmou que as conseqüências agora  seriam negligenciáveis, porque o impacto do sol sobre o clima é muito menor do que o de dióxido de carbono causado pelo homem. Embora a energia do sol seja susceptível de redução até 2100, "Isso só causaria uma redução das temperaturas globais de 0,08ºC'". Peter Stott, um dos autores, disse que: "nossos resultados sugerem que a redução da atividade solar para níveis não vistos em centenas de anos seria insuficiente para compensar a influência dominante de gases de efeito estufa."

Essas descobertas são ferozmente contestada por outros especialistas solares.
"As temperaturas mundiais podem acabar sendo muito mais frias do que agora por 50 anos ou mais", disse Henrik Svensmark, diretor do Centro Nacional para a Pesquisa do Sol e do Clima do Instituto Espacial Nacional da Dinamarca. "Vai ser necessário uma longa batalha para convencer alguns cientistas climáticos de que o sol é importante. Pode ser que o sol demonstre isso por conta própria, sem necessitar de ajuda."

Ele ressaltou que ao afirmar que o efeito do mínimo solar seria pequeno, o Met Office estava confiando nos mesmos modelos de computador que estão sendo minados pela atual pausa no aquecimento global.



Ciclos de Atividade Solar entre 1749 e 2040

Os níveis de CO2 continuam a aumentar sem interrupção, e em 2007 o Met Office afirmou que o aquecimento global estava prestes a "voltar com tudo". O Met Office disse que entre 2004 e 2014 haveria um aumento global de 0,3ºC e em 2009 previu que pelo menos três anos entre 2009 a 2014 iriam bater o recorde de temperatura estabelecido anteriormente em 1998.

Até agora não há nenhum sinal de que nada disse aconteça. Mas ontem um porta-voz do Met Office insistiu que seus modelos ainda eram válidos. "A projeção de dez anos continua sendo cientificamente inovadora. O prazo para a projeção original ainda não acabou", disse ele.

Dr. Nicola Scafetta, da Universidade de Duke na Carolina do Norte, é o autor de vários artigos que discutem que os modelos climáticos do Met Office mostram que deveria ter havido um "aquecimento constante de 2000 até agora".

"Se as temperaturas continuarem a ficar estáveis ou começarem a esfriar novamente, a divergência entre os modelos e os dados gravados acabará por se tornar tão grande que toda a comunidade científica vai questionar as teorias atuais", disse ele.

Ele acredita que como o modelo do Met Office atribui uma importância muito maior para o CO2 do que para o sol, acabou concluindo que não haveria resfriamento. "A questão real é se o modelo em si é preciso", disse Dr Scafetta. Enquanto isso, uma das especialistas climáticos norte-americanos mais eminentes, a Professora Judith Curry do Georgia Institute of Technology, disse que a previsão confiante do Met Office de um impacto "insignificante" é difícil de entender.

"A coisa mais responsável a se fazer seria a de aceitar o fato de que os modelos podem ter graves deficiências no que se refere à influência do sol," disse a professora Curry. Em relação à pausa do aquecimento, ela disse que muitos cientistas "não estão surpresos".



400 anos de observações de manchas solares

Ela argumentou que está se tornando evidente que outros fatores que não o CO2 desempenham um papel importante no aumento ou diminuição do calor, como os ciclos de 60 anos da temperatura da água nos oceanos Pacífico e Atlântico.

"Estes ciclos não têm sido insuficientemente apreciados em termos de clima global," disse Prof Curry. Quando ambos os oceanos eram frios no passado, como aconteceu de 1940 a 1970, o clima esfriou. O ciclo do Pacífico "mudou" para o modo frio em 2008 e também se espera que o do Atlântico provavelmente mude nos próximos anos.

Pal Brekke, conselheiro sênior do Centro Espacial Norueguês, disse que alguns cientistas acham a importância dos ciclos de água difícil de aceitar, porque isso significaria admitir que os oceanos, e não o CO2, causaram grande parte do aquecimento global entre 1970 e 1997.

O mesmo vale para o impacto do sol , que foi altamente ativo durante a maior parte do século 20.

"A natureza está prestes a realizar uma experiência muito interessante", disse ele. "Dez ou 15 anos a partir de agora, seremos capazes de determinar muito melhor se o aquecimento do final do século 20 realmente foi causado pelo CO2 do homem, ou pela variabilidade natural."

Enquanto isso, desde o final do ano passado, as temperaturas globais caíram mais de meio grau, quando o efeito do frio 'La Nina' ressurgiu no sul do Pacífico.

"Agora estamos bem na segunda década da pausa", disse Benny Peiser, diretor da Fundação de Políticas de Aquecimento Global. "Se nós não vermos evidências convincentes do aquecimento global até 2015, começará a ficar claro que os modelos são incorretos. E, se forem, as implicações para alguns cientistas poderá ser muito grave."

----------------------------------------

O curioso é que esta é exatamente a opinião do nosso ilustre meteorologista Luiz Carlos Molion, professor de Climatologia e Mudanças Climáticas da Universidade Federal de Alagoas e pesquisador sênior do INPE.

Fontes: DailyMail







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Nassim Haramein

Nassim Haramein é um físico nascido na Suíça que dedicou toda a sua vida em pesquisas e pensamentos no campo da física quântica e teorias sobre o hiperespaço, espaço de uma maneira não muito convencional mas profundamente esclarecedora, trazendo novas e corajosas discussões e revelações nesse campo e relacionando-as à nossa realidade, à nossa existência e ao conhecimento das civilizações antigas.
No ano de 2004 Nassim Haramein deu uma palestra de 5 horas que foi gravada em vídeo e colocada no youtube, onde ele aborda diversos temas e suas teorias a respeito deles. Na palestra, Nassim fala sobre a estrutura do vácuo e sua composição geométrica sua importância no universo, a singularidade de cada indíviduo / átomo / corpos celestes, buracos negros e as dimensões do universo, o estranho aumento de atividade Solar a partir do ano 2000, explicações sobre crop cricles (círculos em plantações) , ovnis, pirâmides ao redor do mundo, explicações sobre civilizações antigas, Móises,  Jesus, a Bíbl…

Filha secreta da princesa Diana? O misterioso caso de Sarah

Esse é mais um mistério bombástico da família real britânica. Dessa vez surgiu uma mulher, incrivelmente parecida com a princesa Diana, afirmando ser filha dela com o príncipe Charles. Tudo teria acontecido antes mesmo do casamento deles, segundo o tabloide norte-americano 'Globe'.



Se isso for mesmo verdade, essa suposta filha, sendo a mais velha, estaria à frente do príncipe William, e seria a segunda pessoa na sucessão do trono britânico, só atrás do próprio pai, o príncipe Charles.


De acordo com a revista, Charles e sua esposa Camilla Parker-Bowles, conheceram Sarah pessoalmente durante uma viagem aos EUA, e sua semelhança física com a princesa Diana era impressionante.

Porém o encontro não acabou bem, e o príncipe teria tratado mal a jovem, acusando-a de interesseira. Ela estaria disposta a fazer um exame de DNA, mas o príncipe teria se negado.


Tudo isso teria ocorrido durante um encontro, gravado por uma câmera de segurança, onde ela teria dito ao príncipe de Gales: "Eu …

EFEITOS NOCIVOS DO LEITE DA VACA

Desde um estudo ocorrido em 1965, na Escola de Medicina de Johns Hopkins, que concluiu que 15% dos pacientes de raça branca e uns 75% de raça negra não toleram o consumo de leite devido á lactose, iniciou-se uma seqüência de inúmeros estudos comprovando os efeitos negativos desse alimento em nossa dieta. Hoje sabemos inclusive que essas percentagens são muito maiores. 
Por esses motivos encontrados em estudos científicos, alguns profissionais adotam a postura de não inclusão de leites e alguns derivados, pois estudos mostram que algumas substâncias presentes nesses produtos atrapalham o processo de digestão e podem levar a inúmeros distúrbios, inclusive aumento de gordura abdominal. 
O leite de vaca, seja integral, desnatado, ou semi, contém um tipo de carboidrato denominado lactose, que por sua vez apresenta difícil digestão. Estudos científicos garantem que a partir de 4 anos de idade, não conseguimos mais produzir a enzima lactase que digere a lactose. Essa lactose, quando não digeri…

O Mundo Segundo a Monsanto

O Documentário é baseado no livro de mesmo título da consagrada jornalista francesa Marie Monique Robin. Marie nasceu em 1960, na cidade de Poitou Charentes, é jornalista ganhadora de premiações por causa de seus trabalhos. Aqui ela retoma a trajetória da empresa sediada em Saint Louis (Missouri, EUA), desde seu envolvimento no Projeto Manhattan, que deu origem à bomba atômica, passando pelo agente laranja, desfolhante utilizado na Guerra do Vietnã, até os dias atuais, em que apresenta seus OGMs (Organismos Geneticamente Modificados) como arma no combate à fome mundial.
A marca registrada Monsanto é produzida na Bélgica, embora já haja em vários países do mundo, inclusive no Brasil chegou em 1963, já fez  50 (cinquenta anos) no mercado brasileiro. É uma multinacional americana, fundada em 1901, trabalha com química, empresa de agricultura para produzir alimentos saudáveis aos seres humanos. E reduzir os impactos com o meio ambiente. É líder mundial em tecnologia.
Seu carro chefe é o pro…

NOVO ESTUDO DA NASA PODE CORROBORAR HISTÓRIA SOBRE O PLANETA NIBIRU.

No início do século XX, foram encontradas, na lendária biblioteca de Nínive, cujo nome significa «bela», fica situada na margem ocidental do rio Tigre e foi a capital da Assíria (atual Iraque) 20 mil placas de argila (material usado para escrita na época), com textos em escrita cuneiforme – muitos deles bilingues, em sumério e acádico – sobre o mundo natural, geografia, matemática, astrologia e medicina; manuais de exorcismo e de augúrios; códigos de leis; relatos de aventuras e textos religiosos. Dentre os relatos haviam textos contendo a história da criação da humanidade, bem como a existência de um planeta extra-solar (NIBIRU) que teria se desprendido do nosso sistema e que seria o planeta de origem dos criadores da humanidade os, ANUNNAKI.


Muitos acharam que tratavam-se de lendas ou contos mitológicos, mas para o autor de O 12º PLANETA, Zecharia Sitchin, eram relatos verdadeiros da história humana e recentemente a NASA acendeu uma nova luz para o que pode tratar-se de um fato verda…

A Grande Farsa do Aquecimento Global - O Filme

O documentário The Great Global Warming Swindle foi produzido para o Channel 4 britânico e foi ao ar em 8 de março de 2007.
O documentário traz argumentos de alguns cientistas que discordam do “consenso” que prevalece sobre o dióxido de carbono liberado pela atividade humana ser a causa da elevação das temperaturas globais atualmente.
Há um consenso em relação ao clima da terra estar mudando, pois sempre o fez. Há um consenso também em relação a que houve um aquecimento recente. Mas alguns pensam que o aquecimento é por nossa causa, enquanto outros acreditam que nós não temos nada a ver com ele.
O documentário argumenta que a elevação da quantidade de dióxido de carbono na atmosfera não tem relação com as mudanças do clima. Além disso, a visão simplista atual de reduzir as emissões de carbono pode ter conseqüências não intencionais no efervescente desenvolvimento no terceiro mundo, prolongando a pobreza e doenças endêmicas.
Pesquisas apresentadas no documentário mostram aparentemente que …

COMEÇANDO BEM 2011, Brasil - Maior Tragédia do País

Aumenta número de vítimas na tragédia que abalou a região serrana do Rio 23.01.2011

Chegou a 811 o número de mortos por causa das enchentes e deslizamentos que devastaram a região serrana do Estado do Rio de Janeiro na semana passada, de acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil, prefeituras e Polícia Civil.

Nova Friburgo continua sendo a cidade mais castigada, com 389 mortos, de acordo com números divulgados pela Secretaria de Saúde e Defesa Civil. O volume de chuvas previsto para todo o mês de janeiro, caíu em apenas 30 horas.

Em Teresópolis, foram encontrados 327 corpos; em Petrópolis, 66; e em Sumidouro, 22. Em São José do Vale do Rio Preto foram achados seis corpos, de acordo com a prefeitura local. Em Bom Jardim, foi computada uma morte.

O forte temporal que atingiu o Estado do Rio de Janeiro no dia 11.01.2011, deixou centenas de mortos e milhares de sobreviventes desabrigados e desalojados, principalmente na região serrana.

As cidades de Nova Friburgo, Te…

Aumento do número de erupções vulcânicas

Erupção vulcânica
Origem:Wikipédia


Erupção vulcânica é um fenômeno da natureza, geralmente associado à extravasação do magma de regiões profundas da Terra na superfície do planeta. As camadas de rochas formadas por erupções magmáticas são chamadas de "derrames", pois a rocha se espalha e solidifica-se na superfície do globo. A lava arrefecida gera normalmente um óptimo solo para plantação.


Incrível aumento do número de erupções vulcânicas
Estima-se que existam atualmente 1.500 vulcões ativos no mundo, 550 em terra e o restante no oceano. Algumas regiões do planeta estão sendo monitoradas continuamente em relação à atividade vulcânica, como Alasca, Islândia, Indonésia, Equador, Japão, Itália e, mais recentemente, México. Na Itália há cinco vulcões “preocupantes”; no Japão, são 86… E o número de erupções no mundo vem aumentando já há tempos.
A título de ilustração, observe-se o gráfico abaixo (extraído da página Volcano), que mostra o registro de erupções conhecidas do vulcão Mera…